Hoje o “Senta que lá vem história” vem contar um pouco da religiosidade do nosso povo brasileiro. A celebração da Festa de Nossa Senhora Aparecida completa nesse ano 300 anos de sua aparição!

“Sou caipira, Pirapora nossa
Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
O trem da minha vida
Sou caipira, Pirapora nossa
Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
O trem da minha vida”
Romaria de Renato Teixeira

A festividade litúrgica de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, popularmente chamada de Nossa Senhora Aparecida é celebrada em 12 de outubro. Um feriado nacional no Brasil desde 1980, quando o Papa João Paulo II consagrou a Basílica, que é o quarto santuário mariano mais visitado do mundo, capaz de abrigar até 45.000 fiéis. A comemoração da padroeira do Brasil é em razão do aparecimento da imagem de Nossa Senhora Aparecida no Rio Paraíba do Sul aos pescadores Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves em 12 de outubro de 1717. São precisamente 300 anos atrás. Depois que os pescadores a encontrou entre suas redes, foi montado um simples oratório e a ela foi atribuído milhares de milagres.

Cada vez mais sendo procurada, em 1824, Dom Pedro I e sua comitiva a visitou na Capelinha que existia em sua devoção. Anos mais tarde observaram que a Capelinha já não comportava o grande número de devotos. Então foi construída uma Igreja, hoje a atual Basílica Velha, sendo consagrada em 8 de dezembro de 1888. No mês anterior, a Princesa Isabel lhe presenteou com uma coroa cravejada de pedras preciosas em razão de uma promessa feita. Até hoje a coroa se encontra sobre a imagem que fica no nicho do Santuário. Anos mais tarde, em 16 de julho de 1930, a Nossa Senhora Aparecida é proclamada Rainha e Padroeira do Brasil pelo Papa Pio XI. Seu título foi reafirmado pelo presidente da República, o Getúlio Vargas.

Com o passar dos anos, sua Basílica se tornava cada vez mais pequena. É quando os Missionários Redentoristas e Dom Carmelo Motta observaram a necessidade da construção do maior Santuário Mariano do Mundo, o qual teria sua primeira pedra fundamental colocada no dia 10 de setembro de 1946. Hoje, é o segundo maior templo religioso do Brasil, perdendo apenas para o Templo de Salomão da Igreja Universal. O templo fica à beira de uma das principais rodovias do país, a Via Dutra. É um monumento nacional com rico acervo de mosaicos e azulejos, com o projeto neorromânico do arquiteto Benedito Calixto Neto. Segundo o sociólogo Darcy Ribeiro, que visitando Aparecida no final dos anos 50 disse: “observando o Brasil e suas diferenças, dentre alguns símbolos nacionais, a Santa tornou-se o primeiro a unificar o país dentro das suas tradições culturais. Essa unificação começou no século XIX.”

No estado de Sergipe, nós temos vários templos locais e manifestações religiosas dedicadas à Virgem Negra do Paraíba. Mas é importante destacar dois locais que hoje estão em festa. A cidade do Agreste Sergipano que leva seu nome e no maior bairro da Zona Norte de Aracaju, o Bugio. A Festa e Romaria em homenagem à Nossa Senhora Aparecida realizada todos os anos no município de mesmo nome se tornou Patrimônio Cultural e Imaterial do Estado de Sergipe através do decreto-lei 8.085, sancionado pelo então governador em exercício daquele ano, Belivaldo Chagas, no dia 1º de outubro de 2015 e foi inclusa no Calendário Festivo de Sergipe.

A primeira Romaria de Nossa Senhora Aparecida foi realizada em 2004, na ocasião em que o Papa João Paulo II decretou indulgência plenária a todas as paróquias e santuários dedicados à Nossa Senhora Aparecida. Devido a esse decreto, aproximadamente 6 mil pessoas procuraram a cidade sergipana como centro de indulgência. O Padre Jadilson Andrade, atualmente administrado do Santuário do Bugio em Aracaju, foi o pároco responsável pela realização da primeira edição da Romaria. Em 2016, aproximadamente 173 mil pessoas estiveram presentes. Os fiéis se concentram no povoado Queimadas, no município de Ribeirópolis, e lá sempre é celebrada a missa de envio dos romeiros. Após a celebração, as pessoas enfrentam o percurso de aproximadamente 7 km desse povoado até a cidade de Nossa Senhora Aparecida, como demonstração de fé, liderada atualmente pelo Pe. Douglas Gonçalves da Silva, da Congregação do Santíssimo Redentor, chegando à cidade de Nossa Senhora Aparecida.

Em Aracaju, no bairro Bugio, fica situado o Santuário Arquidiocesano de Nossa Senhora Aparecida, a Paróquia de Nossa Senhora Aparecida. Criada no dia 26 de agosto de 1983 e instalada no mesmo ano em 12 de outubro, teve como seu primeiro Pároco, Frei Augusto de Santana, da Ordem dos Frades Menores. Foi erigido por decreto de Dom Luciano José Cabral Duarte, no dia 12 de outubro de 1984, a Santuário Arquidiocesano, tendo como 1º Reitor o Pe. Carlos Augusto, com provisão canônica. Além destes dois templos, existe um grande número de templos de dedicados a ela no estado.

Portanto, com esse texto nós temos uma noção da religiosidade, devoção e manifestações culturais à Nossa Senhora Aparecida, a padroeira do Brasil, dos peões, dos vaqueiros, dos sertanejos, dos agrestinos, dos pescadores fluviais, dos engenheiros agrônomos, dos corretores de seguros, das crianças e todos os brasileiros.

Compartilhar

Discente de História na Universidade Federal de Sergipe. Estagiou no Museu do Homem Sergipano e na Biblioteca Pública Epifânio Dória

Deixe uma resposta