André Moura é o único deputado por Sergipe contrário ao prosseguimento da denúncia contra Temer 

O deputado Fábio Reis (PMDB) ainda não se posicionou e continua no campo dos indecisos; confira as declarações dos demais deputados federais

Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou que a votação do parecer contrário ao prosseguimento da denúncia contra Michel Temer (PMDB-SP) ocorrerá no próximo dia 2 de agosto, após o recesso parlamentar. De acordo com ele, a decisão foi tomada após um acordo feito com as lideranças do governo e da oposição, logo depois de ter sido aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) o relatório que recomenda o arquivamento da denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer pelo crime de corrupção passiva.

Para que a Câmara autorize que a denúncia apresentada pela PGR seja analisada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), são necessários os votos de dois terços da Casa, o que representa 342 deputados. De acordo com o presidente, a votação pode ser iniciada assim que 342 dos 513 deputados estiverem presentes em plenário.

Nesta quinta-feira (13), a CCJ votou dois pareceres diferentes a respeito da denúncia apresentada pela PGR contra Temer. O primeiro, de autoria de Sergio Zveiter (PMDB-RJ), era a favor da admissibilidade da denúncia e foi rejeitado por 40 votos a 25. Já o segundo parecer pelo arquivamento da denúncia, apresentado pelo deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), foi aprovado por 41 votos a 24.

Sobre a rejeição na CCJ do relatório que recomendava a autorização da Câmara dos Deputados para que o Supremo Tribunal Federal analise a denúncia, o líder do Governo no Congresso Nacional, André Moura (PSC-SE), comentou em entrevista ao analista político Jozailto Lima que o resultado “mostra a unidade da base do Governo. Revela que ela está unida em torno do Governo e da permanência do presidente Michel Temer no comando. Vê-se aí uma base que tem compromisso e responsabilidade com o país. Que entende a importância da permanência desse Governo que trouxe de volta a estabilidade econômica e a credibilidade do país”.

Outro forte nome do Governo Temer em Sergipe, o deputado Laércio Oliveira (SD-SE), surpreendeu em seu voto na CJJ, nesta quinta-feira (13), ao defender a autorização da investigação contra o presidente. Em entrevista ao jornal “O Globo”, o deputado comentou sua decisão:

“Eu não trai o governo. Fui fiel à minha consciência. Para o governo ter bons aliados ele precisa respeitá-los! Não participei de nenhuma negociação, nem com meu partido e nem com o governo, para decidir meu voto. Votar pela aceitação da denúncia não é dizer que o presidente é culpado, é só permitir que seja investigado”, afirmou Laércio Oliveira.

O parlamentar afirmou também que não tem medo de retaliações por parte do governo:

“Como eu sou governista, o pensamento deles era de que eu iria votar junto. E eu fico muito feliz com isso, porque eu me sinto aliado com o governo. Agora, se o governo achar que, por eu não ter dado o voto para eles, eu passo a ser oposição, eu lamento profundamente. Se por conta desse voto eu perder emendas ou qualquer coisa como cargos e indicações, eu lamento. Eu votei com a minha consciência”.

De acordo com o deputado João Daniel (PT-SE), agora se analisa um processo muito diferente daquele que foi julgado, injustamente, no dia 17 de abril de 2016, quando o plenário da Câmara autorizou o afastamento da presidenta Dilma Rousseff e, posteriormente, o Senado a afastou em definitivo. “Aquela situação é muito diferente do que estamos julgando hoje. Hoje estamos julgando alguém que tecnicamente há provas. E o que estamos fazendo nesse momento é apenas autorizar que esse procedimento de investigação seja feito pelo Supremo Tribunal Federal”, observou João Daniel.

Já o deputado Fábio Mitidieri se mostrou preocupado com os rumos do pais e também se declarou favorável ao prosseguimento das investigações. “Não concordo com o que estão fazendo com a política do nosso país. O que aconteceu na Câmara dos Deputados foi mais uma demonstração de que o Brasil precisa de um novo líder! Sou a favor da investigação do presidente Michel Temer e sou totalmente contra esse tipo de malabarismo político que tanto vem prejudicando o nosso povo. Nossa nação precisa reagir”, afirmou Fábio Mitidieri.

O deputado Valadares Filho (PSB-SE) publicou vídeo em sua página no Facebook afirmando que as evidências são graves e que é favorável a continuidade das denúncias. “Eu sou favorável a continuidade das denúncias. As evidências são graves e nenhum brasileiro está acima da lei e precisa ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal. Nós esperamos que a Câmara dos Deputados faça sua parte e que a Suprema Corte possa fazer sua julgamento justo e isento”, declarou o deputado.

Já o deputado federal Adelson Barreto (PR-SE) também publicizou seu voto favorável à investigação contra Temer em suas redes sociais. “Quero dizer que sempre estivemos em sintonia com o povo. Sobre o processo contra o presidente Michel Temer, em plenário, nós vamos nos posicionar autorizando a justiça a fazer a investigação”, afirmou Adelson.

Em entrevista a Gilmar Carvalho, o deputado federal Jony Marcos (PRB), disse que não vê a hora de votar pela cassação do mandato do presidente Michel Temer. Jony revelou na entrevista que comunicou à direção do PRB que, assim como ocorreu na reforma trabalista, é contra a proposta de reforma previdenciária e não vê a hora de votar pela cassação do mandato do presidente.

Deputados federais de Sergipe

Com levantamento realizado pela plataforma “342 Agora” e confirmado por nós da Expressão Sergipana, os deputados federais de Sergipe assim se posicionam até o momento (14/07) sobre a abertura de investigação contra Temer:

✅ A favor:

▪ Adelson Barreto (PR)

▪ Fábio Mitidieri (PSD)

▪ Jony Marcos (PRB)

▪ João Daniel (PT)

▪ Valadares Filho (PSB)

▪ Laercio Oliveira (SD)

❓ Indecisos:

▪ Fábio Reis (PMDB)

❌ Contra:

▪ André Moura (PSC)

3 COMENTÁRIOS

  1. Em 2018 o povo sergipano em geral dara a resposta a esse traidor nas urnas, não só a ele mais em geral a todos os políticos traidores que precisam dos votos pra se elegerem. Vamos marcar bem o rosto desses traidores???

  2. temos q exterminar da política Brasileira todos os políticos q defendem corruptos e votam reformas e terceirizações q prejudicam a classe menos favorecida e aumenta a pobreza no pais e o mínimo q o eleitor pode fazer pra exigir honestidade dos politicos Brasileiro

Deixe uma resposta