Arte ajuda na ressocialização de internos da Cadeia Pública de Estância

Foto: Ascom/Sejuc

Internos da Cadeia Pública Filadelfo Luiz da Costa, no município de Estância, estão tendo uma oportunidade ímpar: participar de um trabalho artesanal com jornais, linhas de algodão, papel-ofício e cola, fazendo arte. Sob a orientação da terapeuta ocupacional Leila Calumby Santana, eles são estimulados a criar e os primeiros resultados artísticos começam a aparecer.

O objetivo desse trabalho, que será ampliado, é permitir que a unidade possa melhorar a assistência social, pessoal e profissional, estimulando o exercício de atividades intelectuais e de lazer dos internos. Esse trabalho, também, cria condições para que eles se preparem para a reinserção à sociedade.

O Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Justiça (Sejuc), vem avançando nas ações de ressocialização dos internos, a exemplo da implantação de uma unidade fabril das Duchas Corona, no Complexo Penitenciário Manoel Carvalho Neto (Copemcan), e da oficina de corte e costura no Presídio Feminino.

“Além de fazer com que cumpram a pena que é determinada pelo juiz, nosso trabalho aqui na Sejuc é de ressocializar o interno para quando sair possa viver em sociedade” explicou o secretário de Justiça e Defesa do Consumidor, Cristiano Barreto.

Os internos que participam da oficina de artesanato tem remissão na pena e recebem auxilio de R$ 702,35 reais que é destinado as famílias. As peças produzidas são enviadas para as famílias e também servem de artigo de exposição na unidade.

Foto: Ascom/Sejuc

 

Deixe uma resposta