Atleta da UFS conquista medalhas em competição internacional de parabadminton

Maria Gilda trouxe seis medalhas; ela continua em 1º do ranking nacional da categoria WH2

Atleta ganhou duas medalhas no torneio internacional e quatro na 3ª etapa do circuito nacional (Foto: Schirlene Reis/Ascom-UFS)

A estudante de Educação Física Maria Gilda dos Santos conseguiu mais medalhas em sua carreira vitoriosa no parabadminton. Atleta do Projeto Paradesportivo da UFS, ela obteve seis medalhas: duas no “1º Brazil International Para-Badminton 2017” e quatro na 3ª etapa do Campeonato Nacional de Parabadminton, ambos os eventos ocorridos este mês em São Paulo.

Na competição internacional ela ficou com bronze nas categorias dupla mista (atuou com Gabriel Partinelli Jannini) e WH2. Sergio Barreto Santana, também do Projeto Paradesportivo, conquistou bronze na categoria dupla masculina (fez dupla com o peruano Miguel Angel Castaneda Matos). Todos os cinco atletas do projeto que participaram do evento agora têm classificação com nível internacional.

“Isso significa que esses atletas estão aptos a competir nas suas devidas classes, como WH1 e WH2 (cadeirantes) e standing (andantes), por exemplo”, explica Maria Gilda.

A competição reuniu atletas do Peru, Chile, Alemanha, Suíça, Israel, Polônia e Brasil. Ao todo 53 atletas competiram em 119 jogos.

1ª do ranking nacional

Resultado da 3ª etapa do circuito nacional confirma Maria Gilda na 1ª posição do ranking nacional na categoria WH2.
Resultado da 3ª etapa do circuito nacional confirma Maria Gilda na 1ª posição do ranking nacional na categoria WH2.

Já na 3ª etapa do Campeonato Nacional de Parabadminton a atleta ganhou quatro medalhas: dois ouros (dupla feminina com Auricelia Nunes Evangelista, do Piauí, e WH2) e duas pratas (dupla mista com Osvaldo Crema Jr, de Pernambuco, e feminino absoluto).

Essa competição realiza três etapas por ano. Após essas três fases ocorre o Campeonato Brasileiro de Parabadminton, que será agora em outubro.

A configuração do resultado dessa 3ª etapa evidencia que Maria Gilda se manteve na 1ª posição do ranking nacional na categoria WH2 – ela está nessa posição desde o final de 2016. Com isso, a estudante da UFS está credenciada, mais uma vez, a ser convocada para a seleção brasileira de parabadminton, que vai competir no mundial na Coreia do Sul em novembro.

Ela também espera conseguir uma bolsa no âmbito nacional ou internacional, ou ainda uma da UFS. Para ela, o Projeto Paradesportivo “foi uma forma de me redescobrir, uma vez que eu não conhecia o parabadminton. Isso me deu forças para voltar a acreditar no esporte. Estou com 42 anos e a vida do atleta é curta, então representar o estado, o país, é uma consagração. Eu acho que dá para chegar até Tóquio”.

FonteAscom UFS
Compartilhar

Deixe uma resposta