Bola dentro da novela Totalmente Demais

Por Joaquim Vela

Um casal anda pela rua de mãos dadas, contemplando a paisagem arquitetônica da cidade, tomando um delicioso sorvete, compartilhando um momento de intimidade e paixão. Depois, o casal se senta no banco de uma praça, um se deita no colo do outro e os dois trocam beijos e carinhos. Você assiste a cena com admiração, recordando os momentos parecidos que você já passou com sua paixão. Que bonito! Você pensa em voz alta e com sorriso largo no rosto.  

Pois bem! Agora imagine que você está caminhando com a sua paixão pela rua e tem vontade de colocar o braço sobre o seu ombro e de dá-la um beijo no rosto. Nada demais em realizar estas vontades, não é mesmo?  É só um singelo carinho…. Mas imagine, enfim, que você não tem coragem de fazer isso, melhor, você tem medo de fazer isso e ser bombardeado com olhares de reprovação ou até mesmo ser agredido fisicamente ali mesmo no meio da rua. Mas porque ter esse medo? Você pode estar se perguntando… E eu te dou a reposta sem vacilo: porque você é homossexual e, por isso, muita gente acha que você não pode protagonizar uma cena singela e comum como essa.

A homofobia e a discriminação sexual é real, mata, violenta e faz sofrer muita gente no Brasil. E não se manifesta apenas entre aquelas que querem aprovar o absurdo Estatuto da Família em tramitação no Congresso, entre aqueles que difundem o discurso “eu aceito, mas longe de mim”.

É essa triste realidade que a novela Totalmente Demais, da faixa das 19h, discutiu nos últimos capítulos. Max (Pablo Sanábio) saiu a boate com sua paquera e foi agredido na rua ao cruzar com um grupo de homofóbicos que o viu pedir para andar de mãos dadas com o rapaz. A cena foi forte e triste, confesso que senti náuseas a cada chute e soco que Max recebeu. Ajudado por seus amigos, que se sensibilizaram e se solidarizaram com o caso absurdo, ele foi encorajado a denunciar a agressão para a polícia.

Ele preferiu responder aos bandidos “continuando sendo o que é”. Uma boa e necessária resposta, mas insuficiente. Os homofóbicos devem ser duramente punidos para que essa situação comece a inverter. De toda forma, bola dentro da novela em abordar a temática de forma tão real.

Até semana que vem!

Compartilhar

Deixe uma resposta