Bricelets, uma tradição gastronômica secular na cidade de São Cristovão

O amor é a força motriz para continuar a produção dos biscoitos

Foto: Danielle Pereira

Com a extinção das ordens religiosas (1834), a culinária realizada pelas freiras foi um fator fundamental e contribuiu de modo significativo para a sobrevivência econômica dos conventos. Fundada no inicio do século XVII em Sergipe Del Rey, a Santa Casa de Misericórdia entrou em decadência no século XIX sendo ocupada pelo Lar Imaculada Conceição a partir de 1911 com relevantes serviços à comunidade carente da cidade.

Neste contexto os biscoitos finos com massa bem leve e sabor de laranja, conhecido como “bricelets” rompeu a fronteira invisível entre a questão econômica, de ajudar a manter a ordem religiosa, e passou a consolidar-se como um elemento que representa tanto a doçaria da cidade (rica e diversa), quanto à quarta cidade mais antiga do Brasil.

Irmã Maria de Lourdes. Foto: Danielle Pereira

“Nós éramos irmãs missionárias que, diante da necessidade de manter os trabalhos da ordem, aprendemos com as irmãs beneditinas vindas da Suíça para o Convento do Carmo, a produção dos bricelets. A confecção demanda paciência, dedicação e muita concentração. É um processo artesanal muito bonito e delicado. Feitos em uma chapa quente, de forma individual. Na receita: leite, farinha de trigo, ovos e açúcar, nós ainda acrescentamos o suco de laranja e a raspa de limão”, confidenciou a irmã Maria de Lourdes Rodrigues da congregação das irmãs missionárias da Imaculada Conceição.

As irmãs do lar imaculada Conceição não são mais as responsáveis pelos delicados biscoitinhos que desmancham na boca, a produção está a cargo dos antigos funcionários do Lar Imaculada (onde hoje funciona a sede administrativa do município de São Cristóvão). “Diante de todas as dificuldades financeiras que vínhamos enfrentando, nós chegamos a conclusão que não era mais nossa a responsabilidade em manter as crianças no orfanato. O que precisávamos era desenvolver junto aos poderes governamentais um trabalho para que estas crianças pudessem ser inseridas na comunidade. E então repassamos  o conhecimento da confecção dos bricelets para os funcionários que nos ajudavam”, falou a irmã Lourdes.

Produção 

Sueli das Neves Matias de Jesus. Foto: Danielle Pereira

Um desses antigos funcionários, que assumiu a responsabilidade da produção e de manter a cultura dos “bricelets” na cidade de São Cristóvão se chama Sueli das Neves Matias de Jesus. Ela contou que o amor é a força motriz para continuar a produção dos biscoitos. “Agradecemos sempre a confiança que as irmãs depositaram em nós, e por ter nos incumbido a fazer com que levássemos adiante este trabalho. Fazemos com muito amor, com o intuito de agradar o paladar das pessoas e atrair cada vez mais turista para São Cristóvão. Nem sempre é fácil manter a produção, mas continuamos firmes no propósito de produzir os biscoitos que se tornaram marca registrada da cidade”, pontuou.

Atualmente, os ‘bricelets’ são comercializados num espaço que leva o seu nome, numa espécie de homenagem. A Casa dos Bricelets está localizada na rua Erundino Prado, nº 16, Centro Histórico, funcionando das 8h às 17h.

Foto: Danielle Pereira

Deixe uma resposta