Crianças e jovens embarcam na magia dos tapetes de Corpus Christi

Foto: Márcio Garcez

Este ano, mãos pequeninas também deram o tom do evento. Pelo colorido e pela movimentação que promoveram na sede de São Cristóvão os tapetes de Corpus Christ, tornou-se um dia lúdico para as crianças e jovens, que se empolgaram na confecção das peças, demonstrando apreço pelo ritual de fazer parte deste simbólico momento. Muitos participaram pela primeira vez, outros já tornaram a ação uma programação anual, e todos contaram um pouquinho sobre essa experiência.

Para Ellen Vitória Lima Andrade de Souza, hoje com 15 anos, até pouco tempo, esse lance de fazer tapetes não despertava muito interesse. “Hoje mudei, acho legal. Fiz os desenhos na hora e fomos (juntamente com as amigas) pintando com o pó de serra. Gostei de participar, justamente por me sentir colaborando com a minha cidade. Ficou tudo muito lindo”, enfatizou.

Com apenas 9 anos de idade, Everton Santos soube na escola onde estuda que esta quinta-feira (15), seria especial para os sancristovenses. Assim, ele convidou mais dois amigos: Henrique Santos da Silva (4) e Alex Santos (7) para juntos brincarem com os tapetes. “Minha mãe me deixou passar aqui nos tapetes. Este é o segundo ano que venho, então já conhecia, mas meus amigos não. Fiz um desenho bonito e pintamos juntos. Ano que vem, eu volto”, contou.

Já Bruna Nauany dos Santos Fonseca (15), que esteve pela primeira vez fazendo os tapetes, a brincadeira e o encontro com os amigos foram essenciais para aderir ao trabalho. “Faço crisma e já sabia que ia ter hoje esses tapetes, mas até então eu não tinha participado. Esta é a minha primeira experiência aqui, e achei fantástica. Quero continuar participando nos anos que virão”.

Segundo contou Cledson Cauã Damasceno Chagas, todos os anos, a diversão de fazer os tapetes é algo já garantido. “Os adultos fazem as marcações no chão e nós (crianças) vamos preenchendo, colorindo cada espaço. É sempre divertido, e eu já participo há três anos. Enquanto eu tiver vida, eu quero fazer os tapetes”, frisou.

Foto: Márcio Garcez

A mesma empolgação foi demonstrada por Marcos Vinícius Santos Araújo (16). Ele, que esteve pelo segundo ano consecutivo na elaboração dos tapetes, falou do significado do Corpus Christi para ele, enquanto jovem. “Sou um católico apaixonado pela Igreja, pela minha fé. Estou participando porque gosto e porque sei que nossa fé precisa ser exposta. Espero que, com esta demonstração dos tapetes, o Santíssimo possa abençoar nossa cidade”, finalizou.

Deixe uma resposta