Embrapa cede fazenda para campus da UFS no Sertão

Imagem: Dipro/UFS

Na última terça-feira, 31, a Universidade Federal de Sergipe recebeu a concessão de uso de uma fazenda localizada entre os municípios de Nossa Senhora da Glória e Feira Nova. As terras foram cedidas por 25 anos ao campus do Sertão pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Segundo o reitor Angelo Roberto Antoniolli, a negociação, que já durava quase 2 anos, teve aprovação em uma reunião da Embrapa com o Ministério da Ciência e Tecnologia. “Caminhamos mais um passo na direção da qualidade de vida do povo sertanejo, do povo de Glória. Esse campus será do tamanho dos sonhos de todos nós e a materialização de sonhos se faz comungando com a universidade e a sociedade sertaneja”, ressalta o reitor.

Vista aérea do terreno, com 70 hectares, cedido pela Embrapa (Imagem: Dipro/UFS)
O campus do Sertão funciona desde novembro de 2015 em sede provisória e oferece quatro cursos na área das Ciências Agrárias: Medicina Veterinária, Engenharia Agronômica, Zootecnia e Agroindústria. Anualmente são ofertadas 50 vagas para cada curso. Todos os cursos utilizam a metodologia de Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP ou, em inglês, PBL).

Ampliação
De acordo com Jodnes Sobreira Vieira, diretor do campus, a fazenda, que possui 70 hectares e fica a 12 km da sede administrativa, será utilizada para aulas práticas das disciplinas nos 3°, 4° e 5° ciclos.

“Os projetos para construção já estão prontos e o próximo passo é fazer a licitação da infraestrutura básica: rede fluvial, iluminação, calçamento”, explica Jodnes, que acredita que as obras terão um prazo mínimo de 3 a 4 anos para finalização.

Fachada do campus no projeto para construção da fazenda (Imagem: Dipro/UFS)
Ainda segundo ele, serão construídos na fazenda laboratórios, biblioteca, centro de vivência e demais espaços para os estudantes. “Essa fazenda é a cereja do bolo do campus do Sertão porque vamos capacitar os alunos e pequenos agricultores”.

Mais sobre o campus
Anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) em março de 2014, o campus do Sertão foi mais uma ação da UFS rumo à consolidação da interiorização do ensino superior público no Estado. A região possui entre as suas principais atividades econômicas a agropecuária, e se destaca na produção de leite e milho. A chegada da universidade visa impulsionar a cadeia produtiva da região, incentivando aquelas atividades que dialoguem com a agricultura familiar, a sustentabilidade e a agroecologia.

 

Vista aérea da maquete eletrônica (Imagem: Dipro/UFS)
Vista aérea da maquete eletrônica (Imagem: Dipro/UFS)

Nos cursos, a metodologia de ensino adotada é a Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP), em que o aluno exerce papel central no processo de aprendizagem, participando de forma ativa de discussões realizadas em sala de aula, sob a mediação do professor que, neste caso, assume o papel de tutor. O campus se destaca como a primeira universidade brasileira na área de Ciências Agrárias a utilizar a metodologia em todos os cursos.

Deixe uma resposta