Entrevista com Márcio Andrade. Professor de Jiu-jitsu fala sobre sua história no esporte e os próximos desafios

“Através do Jiu-jitsu eu me motivei e fui atrás. Hoje eu tenho uma formação na área de educação física em licenciatura e bacharelado."

Foto: Thayane Rocha / Expressão Sergipana

Márcio Andrade, Mestre de Jiu-jitsu da academia Xteam e líder da equipe Zenith em Sergipe foi entrevistado pela Expressão Sergipana.

O professor falou sobre a importância do Jiu-jitsu na sua vida e sua história com a arte marcial. “Através do Jiu-jitsu eu me motivei e fui atrás. Hoje eu tenho uma formação na área de educação física em licenciatura e bacharelado.” afirma Márcio. Além disso, abordou a respeito da sua filosofia de trabalho; dos desafios da sua nova equipe, a Zenith; sobre a organização do Jiu-Jitsu sergipano e do recente título por equipe da Etapa Final do Campeonato Sergipano de Jiu-jitsu 2015. “Foi o resultado de muita organização juntamente com um excelente nível de Jiu-jitsu dos meus alunos.”

Confira a entrevista na íntegra.

Expressão Sergipana: Mestre Márcio Andrade, são anos dedicados ao Jiu-jitsu, como foi o seu começo na arte suave?
Mestre Márcio Andrade: Meu interesse pelas artes marciais começou assistindo o UFC, que antigamente era o Vale Tudo. Então eu via os lutadores do Jiu-jitsu, da família Gracie principalmente, arrebentando no octógono e fui ficando interessado. Eu locava todos as fitas de lutas das locadoras de filmes. Só que eu tinha receio de ir para academia, então demorou muito tempo para eu iniciar. Até que chegou um dia que tive coragem, por que meu primo já tinha uma academia de artes marciais na casa dele, e comecei a treinar com o professor Luciano Vieira e nunca mais parei. São 16 anos e acho que nesse tempo de Jiu-jitsu, juntando, eu não passei mais de 1 mês parado.

Expressão Sergipana: Depois que o Jiu-jitsu entrou na sua vida, o que mudou?
Mestre Márcio Andrade: Mudou tudo. As influências me levaram a buscar uma faculdade em Educação Física, mesmo já tendo esse interesse antes eu não tinha a motivação para ir buscar isso. Através do Jiu-jitsu eu me motivei e fui atrás. Hoje eu tenho uma formação na área de educação física em licenciatura e bacharelado. Além disso, minha autoconfiança melhorou, meu comportamento melhorou. Então, pelo bem do esporte e pelos princípios básicos das artes marciais eu me tornei uma pessoa melhor.

Expressão Sergipana: Hoje você tem sua própria Academia, a XTeam. Nos conte um pouco dessa história.
Mestre Márcio Andrade: Na minha vida tudo foi muito suado. Eu comecei como atleta e passei a dar aula na academia que treinava desde a Faixa Azul, pois o professor confiava muito no meu trabalho. Sempre fui muito atencioso e buscava sempre mais conhecimento em relação a arte marcial. Então eu passei a ter essa confiança de dar aula, inclusive até para lutadores mais graduados. Após esse momento, já criei essa paixão de ensinar a arte, de dar aulas. Foi daí que começou esse meu sonho de ter minha academia. Quando eu cheguei na Faixa Preta, Luiz Cláudio, da academia Garra, que hoje é meu aluno, me convidou e eu comecei a ministrar aula lá. Aí eu não parei mais. Com o tempo comecei a juntar o dinheiro que eu ganhava dando aula e o dinheiro dos estágios em educação física. Eu não gastava nada. Fui juntando, juntando e comecei a ir construindo uma parte da academia, depois outra, depois outra e ia fazendo melhorias e assim surgiu a Xteam e hoje está aí graças a Deus.

Expressão Sergipana: Como você avalia a organização do Jiu-Jitsu em Sergipe?
Mestre Márcio Andrade: O Jiu-jitsu em Sergipe deu um salto muito grande. Hoje nós não devemos nada em termos de organização em comparação com os outros estados. O nível técnico é muito forte e as equipes estão crescendo aqui em Sergipe também por conta da organização que tem aqui no nosso Estado. Eu me lembro que 10 nos atrás tínhamos 50, no máximo 80 competidores nos campeonatos. Hoje em dia num campeonato fraco de jiu-jitsu dá aproximadamente 400 competidores. Por aí podemos ver que o trabalho que a organização do Jiu-jitsu sergipano vem desempenhando está elevando o nome da nossa arte. Isso, é importante para os professores, para os alunos e fortalece os nossos campeonatos.

Expressão Sergipana: Recentemente você passou a liderar a equipe Zenith BJJ aqui em Sergipe. O que a Zenith traz de novo para o Jiu-jitsu Sergipano?
Mestre Márcio Andrade: Primeiramente sobre a mudança. Chega um momento que se passa a ter conflitos de ideias, formas de ministrar aulas e de liderar a equipe. E isso gera conflitos e até algumas decepções. Então chega um momento que é preciso refletir o que realmente queremos construir. Foi nesse momento que surgiu essa oportunidade de mudança para a Zenith. Hoje temos uma filosofia na Zenith que é a busca pela formação do atleta e de uma família na academia, nos empenhamos ao máximo em organizar a equipe na parte técnica, psicológica e organizacional. Com isso, pretendemos ajudar a fortalecer o Jiu-jitsu Sergipano.

Expressão Sergipana: Sobre quando você fala da construção de uma família na academia, poderia nos explicar um pouco mais?
Mestre Márcio Andrade: Eu comecei a treinar Jiu-jitsu e sentia esse clima e gostava. Com a experiência nesses 16 anos de tatame, tentei pegar o que deu certo e colocar no meu trabalho. Então essa é minha filosofia. Construir uma equipe, mas também construir uma família com respeito, amizade, companheirismo, solidariedade e união. Desde o meu primeiro dia como professor até o meu último dia eu vou levar essa filosofia comigo. Cada aluno meu tem que ter esse pensamento e passar para os seus companheiros.

Expressão Sergipana: Quais são as perspectivas da Equipe Zenith nos próximos anos?
Mestre Márcio Andrade: A equipe Zenith tem dois líderes mundiais, que são o Rodrigo Cavaca e Robert Drysdale. Eles cuidam da equipe buscando campeonatos, encontro de formação, diálogo com as academias etc. O objetivo geral da Zenith é ser a maior equipe de Jiu-jitsu do mundo. Aqui em Sergipe eu tenho essa obrigação de manter a equipe organizada e a tarefa de sempre formar atletas campeões e também cidadãos.

Expressão Sergipana: Já no primeiro campeonato da equipe Zenith em Sergipe vocês foram campeões por equipe da Etapa Final do Campeonato Sergipano de Jiu-jitsu 2015. O que esse título significa para você?
Mestre Márcio Andrade: É um conjunto de emoções. Primeiro por que teve a mudança de equipe e não costuma ser fácil. A mudança pode causar medo, insegurança e eu não senti isso. Enfrentamos a mudança, fomos muito bem recebidos na equipe Zenith e consegui colocar os objetivos que estavam na minha mente em prática. Foi o resultado de muita organização juntamente com um excelente nível de Jiu-jitsu dos meus alunos. Fui parabenizado por vários líderes de outras equipes e isso me engrandece. Além disso, agora tenho uma responsabilidade maior que é conquistar mais títulos e manter esse alto nível que meus alunos estão.

Expressão Sergipana: Depois de 16 anos de caminhada, quais são os seus sonhos com o Jiu-jitsu?
Mestre Márcio Andrade: Meu sonho maior é formar um campeão mundial na Faixa Preta, categorial adulto. Eu tenho esse sonho e eu vou conquistar. Temos algumas promessas, pessoas novas entrando. Então é treino duro o tempo todo, pois daqui a 5 anos tenho essa meta de formar esse campeão mundial.

Compartilhar

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta