Forró autêntico anima sergipanos e turistas o ano inteiro nos Mercados

Foto: Marco Vieira

Festa junina é sinônimo de comidas típicas, vestidos de chita, sandálias de couro e forró. Nos mercados centrais de Aracaju, o som da sanfona pode ser ouvido de longe. Por lá, as músicas de artistas sergipanos, Luiz Gonzaga e Dominguinhos são a trilha sonora para a visita de sergipanos e turistas a um dos principais pontos turísticos da cidade.

No mercado Thales Ferraz, o sanfoneiro Antônio Carlos de Oliveira, mais conhecido como ‘Boca Louca’, encanta sergipanos e turistas com o seu trabalho. Vestido a caráter, ele passa os dias cantando músicas do Rei do Baião há dez anos. “Todos os dias eu venho. Os turistas gostam da sanfona, do São João, e me adoram, tiram retrato, pedem licença para me beijar. Ainda me dão aquela gorjeta maravilhosa porque eles acham bonito e colocam na caixinha”, contou.

O músico Boca Louca, como é conhecido Antônio Carlos de Oliveira, passa o dia alegrando o público com sua sanfona. Foto: Marco Vieira

No período junino, porém, o repertório de Boca Louca é especial e as músicas do seu ídolo Luiz Gonzaga têm lugar de destaque. “Mês de junho tem o forró, a marchinha e a música do Rei, que me deixou a lição de manter vivo o autêntico forró, e eu sigo Luiz Gonzaga”, disse.

O ritmo do tradicional forró pode ser ouvido pelos corredores dos mercados centrais com a música de Zé Américo. Foto: Marco Vieira

Já no mercado Antônio Franco, o comando da sanfona é de José Américo, conhecido como Zé Américo de Campo do Brito. Cozinheiro e músico de profissão, ele alia as duas paixões há 14 anos em um restaurante de comidas regionais. Entre um cliente e outro, ele pega a sanfona e faz questão de manter a tradição do forró viva.

“Os turistas adoram! Como eu já dei entrevista em programas nacionais, muita gente me conhece e já chega me procurando. Aí eu pego minha sanfona e o forró começa”, afirmou.

Apesar de admirar o trabalho dos artistas nacionais, seu Zé Américo capricha na seleção músicas de artistas sergipanos no seu repertório, como o saudoso Rogério. “Eu gosto muito do Rei do Baião, de Dominguinhos, mas eu gosto de divulgar o trabalho dos nossos artistas. A gente tem que valorizar o que é da casa”, pontuou.

Receptividade

Os forrozeiros estão certos: os turistas adoram. O casal Raíza Spalenza e Nilton Júnior ficaram encantados com Boca Loca e fizeram questão de garantir a fotografia com o artista para mostrar a amigos e familiares de Vila Velha (ES), cidade natal dos dois.

“A gente ficou muito surpreso com a apresentação dele. Nós não temos isso na nossa cidade e achamos bem bacana”, afirmou Raíza.  Seu esposo reforçou a grata surpresa de encontrar pessoas como o sanfoneiro, que fazem questão de manter a tradição. “Tínhamos visto trio pé-de-serra, mas a caráter assim, e ainda mais no mercado, foi a primeira vez. É incrível”, declarou Nilton Júnior.

Os comerciantes em torno dos sanfoneiros Zé Américo e Boca Louca também aprovam e muito a presença do autêntico forró nos mercados. Além de animar, eles atraem o turista. “Eu acho ótimo. Eles estão aqui o ano inteiro. Eles animam nosso dia a dia, e até levantam o nosso astral quando a gente está com algum problema ou chateada”, valorizou Anaí Oliveira Teles, que há três anos trabalha em uma loja de artesanato.

Serviço

Ficou com vontade de prestigiar os sanfoneiros? Basta fazer uma visita aos mercados Thales Ferraz e Antônio Franco, que funcionam de segunda a sábado, das 6h às 17h. Já no domingo, eles abrem das 6h às 12h.

Neste sábado, 24, feriado municipal por conta do Dia de São João, os mercados funcionam das 6h às 12h.

Deixe uma resposta