Frente Brasil Popular mantém mobilização e protestos nesta terça (5)

Mesmo com adiamento da greve nacional, as mobilizações em Defesa da Aposentadoria estão mantidas em Sergipe e em diversas cidades pelo país

28 de Abril: Greve Geral em Sergipe | Foto: Thay Rocha/Expressão Sergipana

As centrais sindicais suspenderam a greve nacional que estava sendo organizada para a próxima terça-feira (5), diante do cancelamento da votação da Reforma da Previdência, que aconteceria no dia seguinte, 6 de dezembro. A Frente Brasil Popular (FBP), que convocou protestos de apoio à greve nacional, ainda mantém as mobilizações marcadas para a data.

Representantes das seis centrais sindicais envolvidas na mobilização – a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Força Sindical, a União Geral dos Trabalhadores (UGT), a Nova Central, a Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) e a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) – divulgaram a informação na manhã desta sexta-feira (1).

Em nota, as centrais ressaltaram que a “pressão do movimento sindical foi fundamental para o cancelamento da votação da Reforma da Previdência”, e que, por esse motivo, continuarão mobilizados e em estado de alerta de greve.

Frente Brasil Popular

Seguindo a agenda de mobilizações em diversas cidades pelo país, movimentos populares e entidades que integram a Frente Brasil Popular (FBP) mantiveram as ações previstas para o Dia Nacional de Atos e Protestos em Defesa da Aposentadoria, na próxima terça-feira (5).

Em nota, a FBP destacou que a decisão de adiar a votação é uma vitória do movimento sindical e social, mas justamente por esse motivo, os movimentos populares deveriam “ampliar a mobilização, agitação e diálogo com a sociedade brasileira”.

“Só com povo unido e nas ruas mobilizados conseguiremos derrotar a reforma da previdência e garantir aposentadoria digna para todas e todos brasileiros”, diz a nota.

Sergipe

Em Sergipe as organizações prometem manter as mobilizações já iniciadas. Conversamos com os presidentes estaduais da CUT (Central Única dos Trabalhadores) e CTB (Central dos Trabalhadores do Brasil). Ambas as centrais constroem a Frente Brasil Popular em Sergipe.

“Hoje pela manhã panfletamos no terminal DIA, no calçadão do Centro e em outros locais. A receptividade está muito boa. O adiamento da greve foi um erro tático profundo. Se houve um recuo do governo é por conta da pressão que fizemos e da falta de votos no Congresso. A gente vai manter a reunião as 17 horas aqui em Aracaju. Se for consenso que devemos manter a greve, nós vamos manter”, afirmou o professor Dudu, presidente da CUT-SE.

“A CTB Sergipe vai manter a mobilização, junto as entidades filiadas, por considerar que a luta contra a reforma da Previdência é vital para barrar a tentativa desse governo golpista de Temer de acabar com a aposentadoria dos trabalhadores. Isso nós não podemos aceitar. As assembleias, que já foram convocadas, estão mantidas. Hoje, no final da tarde, teremos uma reunião com as demais centrais sindicais e as entidades do movimento social, e, na segunda-feira, às 9 horas, teremos uma reunião com as direções dos sindicatos filiados à CTB. Vamos dizer não à reforma da Previdência nas ruas”, disse Adêniton Santana, presidente da CTB-SE.

Mantida a mobilização, as organizações confirmam a reunião convocada para tarde desta sexta-feira (1). Será a partir das 17h, na sede da CUT/SE em Aracaju, localizada na Rua Porto da Folha, 1039, no bairro Getúlio Vargas.

Deixe uma resposta