São Francisco ou São Francisco de Assis, fundador da Ordem dos Franciscanos, um dos maiores santos da Igreja católica romana, nasceu em Assisi, Úmbria, Itália em 1182, vindo a falecer em 3 de outubro de 1226 aos 44 anos.

Seu nome de batismo era Giovanni, no entanto desde pequeno era chamado – inclusive pelo próprio pai – de Francesco. Atualmente, o nome Francisco, e seu equivalente em outros idiomas, deve sua grande popularidade a São Francisco, já que antes de sua consagração o nome não era comum.

Preso aos 20 anos em Perugia, quando a cidade entrou em conflito com Assisi, Francisco foi tomado como prisioneiro numa batalha. Dois anos após o seu retorno, pôs-se a caminho das guerras na Apulia, mas, doente, viu-se obrigado a regressar a casa. Sofreu então uma conversão que o levou da vida mundana que levava. Tornou-se notoriamente devoto e ascético, começando a apresentar-se em andrajos.

Em 1206, partiu para uma peregrinação a Roma. Uma série de acontecimentos à época revelou de modo impressionante as características que Francisco iria incorporar: humildade, amor à pobreza absoluta, singular devoção aos outros e à Igreja Romana e entusiástico fervor religioso.

Três anos depois, enquanto assistia a uma missa, as palavras de Jesus no Evangelho exortando seus apóstolos a seguir em frente em suas missões chocaram-no como se fosse um apelo a ele dirigido. Passou então, ainda como leigo, a pregar.

Juntou um grupo de pessoas e foram a Roma para ver o papa Inocêncio III, que lhe deu permissão oral para viver da maneira que havia escolhido. A partir daí, criava-se a ordem franciscana de freis, um tipo inteiramente novo de ordem eclesiástica.

Os freis percorreram pela Umbria e por toda a Itália pregando o Evangelho, trabalhando para suprir suas parcas necessidades. Desta forma, o crescimento dos freis franciscanos foi muito rápido. Em 1212, Santa Clara passou a acompanhar São Francisco e as Damas Pobres – segunda Ordem de São Francisco -, uma ordem contemplativa, enclaustrada foi estabelecida. Francisco não somente enviou os irmãos ao exterior, mas também ele pessoalmente esteve na Dalmácia, França, Espanha. E entre 1219 e 1220 na Terra Santa. Em seu caminho para a Palestina parou em Damietta e orou para o sultão.

Porém, uma crescente dissensão em sua ordem chamou-o de volta. Após o seu regresso em 1221, uma grande assembleia teve lugar na capela de Porciúncula, perto de Asssisi, com a qual Francisco se identificava estreitamente. Nesse momento, o santo abandona a liderança ativa da ordem, porque sentiu que ela se havia tornado demasiado difícil de comandar. Continuou, porém, sua pregação e dedicou-se a formar a Terceira Ordem dos Franciscanos.

Dois anos antes de sua morte, em 1224, ocorreu o mais famoso acontecimento de sua vida. Recebeu em seu corpo a stigmata – fenômeno religioso caracterizado pelo ferimento espontâneo das mãos, dos pés e do lado direito do corpo, exatamente como as chagas de Cristo na crucificação – quando rezava no Monte della Verna. Passou a sofrer da stigmata pelo resto de sua vida. Segundo consta, foi o primeiro surgimento da stigmata e o único que é celebrado liturgicamente pela Igreja Católica romana em 17 de setembro. Francisco morreu em 3 de outubro de 1226 e dois anos depois o papa Gregório IX, seu patrono e amigo, canonizou-o.

Deixe uma resposta