Livro relembra história de militantes anônimos contra a ditadura

“Couro Curtido” demonstra como o papel de personagens anônimos foi tão importante quanto o de figuras públicas na derrocada da Ditadura Militar

A Editora Diário Oficial de Sergipe – Edise lança, no dia 12 de janeiro, o livro “Couro Curtido: memórias de um militante comunista”, de Lourival ‘Val’ Carvalho. O evento acontece no Cotinguiba Esporte Clube, em Aracaju, a partir das 18h.
A obra é um registro da vida política do autor e de “militantes anônimos” que lutaram contra a Ditadura Militar em Sergipe. O título do livro é uma analogia que o autor fez com a capacidade de resistência do militante nordestino.
O regime militar, segundo Val Carvalho, agia de modo particular em cada estado. Nos últimos anos da década de 1960, a juventude sergipana “despertou para a defesa da democracia”. No entanto, a truculência do regime perseguiu e prendeu quem resistia. “Mas isso também contribuiu para deixar essa juventude com o “couro curtido” para resistir e depois da derrota da ditadura, assumir cargos públicos importantes no estado”, afirma o autor.
“Couro Curtido” pretende trazer uma nova perspectiva à historiografia sobre a ditadura. Por isso, o autor optou por se concentrar na história de anônimos. A resistência contra a ditadura não seria possível sem essas pessoas. “Aprendemos na escola e vemos nos filmes de Hollywood que são os heróis individuais que importam”, diz.
Val Carvalho não retira o mérito dos personagens que tiveram mais destaque naquela época. Para ele, o papel do líder é de responder à efervescência da base popular. “Como se diz: se não houvesse um Napoleão, existiam na época outros líderes militares que podiam fazer o mesmo papel, talvez sem a mesma genialidade”, afirma o militante comunista.
“Essa era a motivação inicial de meu livro. Mas ele foi pedindo desdobramentos para os tempos atuais de minha vida política, em que passei a ter mais exposição pública”. O livro também traz reflexões sobre os erros que a esquerda cometeu nos últimos anos, que, para o autor, “são as portas de entrada dos golpistas de todas as épocas”, conclui o autor.
Para o presidente da Segrase, Ricardo Roriz, a Edise inicia o ano com uma grande obra. “Val Carvalho trata em seu livro da história de Sergipe, fato importante para nossa memória. Também ficamos honrados em começar 2018 com um tema tão importante para a história brasileira”.
FonteASN
Compartilhar

Deixe uma resposta