Museu da Gente Sergipana realiza 11ª Primavera dos Museus

Este ano, o tema escolhido destaca a importância de valorizar a memória institucional como elo essencial nessa ampla cadeia de sentidos, em contínua transformação

Foto: Márcio Garcez

O Instituto Banese, por meio do Museu da Gente Sergipana Governador Marcelo Déda, realizará na próxima sexta-feira, dia 22, a partir das 14h, a ’11ª Primavera dos Museus’. Com o tema ‘Museus e suas Memórias’, o objetivo é trazer à tona reflexões a partir das memórias das próprias instituições museais e junto com o público dialogar sobre os processos e resultados da constituição e produção das mesmas.

No Museu da Gente Sergipana, essa reflexão se dará a partir da roda de conversa ‘Proseando sobre as memórias da gente sergipana’, que contará com as palestras da historiadora e supervisora do Museu da Gente sergipana, Karla Souza, e do fundador do Grupo Mamulengo de Cheiroso, Augusto Barreto, e com a mediação do historiador e presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, Samuel Albuquerque.

Em seguida, às 16h, haverá a premiação dos estudantes vencedores do concurso ‘Vídeo Culturas da Gente’, e a exibição do material audiovisual produzido por eles. Encerrando a programação, o grupo Burundanga Percussivo fará uma saudação à primavera. A programação é gratuita e voltada para o público em geral. O Museu da Gente Sergipana está localizado na Avenida Ivo do Prado, 398, Centro, Aracaju-Se.

Este ano, o tema escolhido vem destacar a importância de se valorizar a memória institucional como elo essencial nessa ampla cadeia de sentidos, em contínua transformação/ Imagem: Divulgação/Instituto Banese

A Primavera dos Museus é um evento coordenado pelo Instituto Brasileiros de Museus (Ibram) e que desde 2007 acontece em instituições museais de todo o Brasil. Este ano, o tema escolhido vem destacar a importância de se valorizar a memória institucional como elo essencial nessa ampla cadeia de sentidos, em contínua transformação, que é a memória construída e compartilhada a partir de diferentes perspectivas sociais – e que tem no museu um importante ponto de conexão.

FonteASN
Compartilhar

Deixe uma resposta