Impeachment de Dilma e denúncia de Temer: o que disseram os deputados de Sergipe

Em abril de 2016 e em agosto de 2017, o Brasil parou para ouvir os deputados decidirem sobre o futuro de dois presidentes: Dilma e Temer. O que eles disseram ao dar seu voto no passado? O que disseram agora?

O portal NEXO fez um levantamento dos discursos dos deputados federais nas votações do impeachment de Dilma e da denúncia de Temer. Selecionamos o que disseram os parlamentares por Sergipe.

Em 17 de abril de 2016, a Câmara dos Deputados autorizou a abertura do processo de impeachment contra Dilma Rousseff. Naquele momento, todos os deputados foram ao microfone para declarar publicamente o seu voto, se favorável ou contrário ao afastamento da presidente. O que foi dito ali como justificativa para o voto entrou para a história.

Em 2 de agosto de 2017, os mesmos deputados voltaram ao microfone para decidir sobre a denúncia criminal contra o presidente Michel Temer. Novamente, o Brasil parou para ouvir os discursos que acompanhavam os votos.

Mas será que os argumentos que justificaram o afastamento de Dilma foram os mesmos usados para manter Temer na Presidência da República? O que disse cada deputado em cada momento histórico? Quais foram os termos que apareceram como justificativa para os votos no passado? E agora?


Foto: ALESE

ADELSON BARRETO PR/SE

CONTRA DILMA e CONTRA TEMER

O QUE FOI DITO NO IMPEACHMENT DE DILMA:

“Sr. Presidente, Srs. Deputados, Sras. Deputadas, povo brasileiro, em sintonia e harmonia com o povo de Aracaju, com o povo de Sergipe, meu estimado e amado Estado, em sintonia com a maioria do povo brasileiro, na esperança do extirpar da estagnação a que fora submetido este País, na esperança de que o País possa progredir, nós votamos “sim”.”

O QUE FOI DITO NA DENÚNCIA DE TEMER:

“Sr. Presidente, em sintonia com a maioria do povo brasileiro, em sintonia com o povo do meu querido Estado de Sergipe, nós votamos pela investigação do Presidente. Portanto, voto “não” ao relatório.”


Foto: Wilson Dias/ Agência Brasil

ANDRE MOURA PSC/SE

CONTRA DILMA e PRÓ-TEMER

O QUE FOI DITO NO IMPEACHMENT DE DILMA:

“Sr. Presidente, inicialmente, eu gostaria de registrar o quão orgulhoso eu sou em liderar uma bancada tão valorosa como a do PSC. Eu quero fazer o registro de um Parlamentar que orgulha muito este Parlamento e o nosso partido e que esteve conosco até a semana passada, mas, na condição de suplente, não está aqui hoje. É o deputado Marcondes Gadelha, que é um Parlamentar exemplar para nós. Sr. Presidente, quero agradecer a toda a nossa bancada e dizer que nenhum povo é realmente grande, senão pela liberdade que tem ou conquista. Neste momento histórico, nós somos o povo brasileiro, nós somos a Pátria. Pelo Brasil, pelo meu amado Estado de Sergipe, de um grande homem, mestre da Filosofia e do Direito, Tobias Barreto; em nome da família e dos meus filhos, Yandra e Yago, eu voto “sim”, Sr. Presidente, pelo impeachment.”

O QUE FOI DITO NA DENÚNCIA DE TEMER:

“Sr. Presidente, contra o passado obscuro e nefasto do PT e a favor do futuro das reformas que possibilitam a retomada do crescimento, já com 280 votos favoráveis ao Governo, que já garantem a governabilidade para a construção do País, eu voto com o Relator, o Deputado Paulo Abi-Ackel, do PSDB. Eu voto “sim”, Sr. Presidente.”


Foto: Câmara dos Deputados

FÁBIO MITIDIERI PSD/SE

PRÓ-DILMA e CONTRA TEMER

O QUE FOI DITO NO IMPEACHMENT DE DILMA:

“Quis o destino e o povo de Sergipe que eu estivesse aqui hoje vivendo este momento. Eu não sou ladrão, não sou corrupto, não sou vendido, sequer sou PT. Também amo a minha família e o povo sergipano, e a democracia nos ensina a respeitar as posições divergentes. Exercendo essa democracia, em consideração ao Estado Democrático de Direito e à vontade das urnas, voto “não”.”

O QUE FOI DITO NA DENÚNCIA DE TEMER:

“A justiça, por dever de justiça, é cega, mas esta Casa não deveria nem poderia fechar seus olhos para as corrupções apresentadas pela Procuradoria Geral da República — PGR. A população brasileira assiste envergonhada a tudo o que aconteceu aqui hoje, e eu não colocarei a minha digital nisso. Portanto, voto contra o relatório e a favor do povo brasileiro.”


Foto: PMDB/Divulgação

FÁBIO REIS PMDB/SE

CONTRA DILMA e PRÓ-TEMER

O QUE FOI DITO NO IMPEACHMENT DE DILMA:

“Sr. Presidente, eu voto “sim”.”

O QUE FOI DITO NA DENÚNCIA DE TEMER:

“Voto “sim”, Sr. Presidente.”


Foto: Câmara dos Deputados

JOÃO DANIEL PT/SE

PRÓ-DILMA e CONTRA TEMER

O QUE FOI DITO NO IMPEACHMENT DE DILMA:

“Faço uma homenagem aos grandes homens sergipanos que passaram pelo Congresso Nacional, querido e saudoso ex Senador José Eduardo Dutra, querido e saudoso ex deputado Federal e Governador Marcelo Deda. A classe trabalhadora está nas ruas e não vai aceitar esse golpe de graça. Esse é um golpe contra os pobres, esse é um golpe contra a luta do povo brasileiro, esse é um golpe contra os direitos da classe trabalhadora. Nós votamos com a democracia, nós votamos com a honestidade da Presidenta Dilma. Nós votamos contra o golpe. Não ao golpe! Viva o povo sergipano! Viva o povo brasileiro!”

O QUE FOI DITO NA DENÚNCIA DE TEMER:

“Sr. Presidente, nós votamos a favor do povo sergipano e brasileiro, votamos a favor daqueles que lutaram e deram a vida pela democracia e pela liberdade e por um País decente, votamos “não” ao relatório; “sim” à investigação. Fora, golpista. Diretas já!”


Foto: Douglas Gomes/PBR

JONY MARCOS PRB/SE

CONTRA DILMA e CONTRA TEMER

O QUE FOI DITO NO IMPEACHMENT DE DILMA:

“Sras. e Srs. Deputados, povo do meu grandioso Estado de Sergipe — o menor Estado do Brasil, Estado que eu amo, Estado maravilhoso —, povo brasileiro, o meu partido, o Partido Republicano Brasileiro, do qual eu sou fundador e que é presidido pelo nosso Presidente Marcos Pereira, tomou um posicionamento; e todos nós Deputados decidimos acompanhar o posicionamento, a direção dada pelo nosso Presidente. Eu sou o último deputado do PRB que vota nesta noite e devo dizer a todos que vou honrar os meus companheiros e acompanhar o voto de todos os 21 deputadoss que me antecederam aqui nesta tribuna. Voto “sim”, Sr. Presidente.”

O QUE FOI DITO NA DENÚNCIA DE TEMER:

“Presidente Michel Temer, não corte recursos das universidades federais, não feche as agências do INSS, pague o aumento do Bolsa Família que o senhor prometeu e não cumpriu — Não cumpriu! — e cuide do meu Estado de Sergipe, que o senhor esqueceu e abandonou. Eu voto “não”, Sr. Presidente.”


Foto: Ascom/Solidariedade

LAÉRCIO OLIVEIRA SD/SE

CONTRA DILMA e CONTRA TEMER

O QUE FOI DITO NO IMPEACHMENT DE DILMA:

“Sr. Presidente, nobres Deputados e Deputadas, a partir daqui nós temos um compromisso muito grande de resgatar o nosso País para o desenvolvimento. Este momento é um ponto de partida. Em nome do Brasil, em nome do meu povo de Sergipe, do meu povo de Aracaju, e na esperança de dias melhores, meu voto é “sim”.”

O QUE FOI DITO NA DENÚNCIA DE TEMER:

“Sr. Presidente, meu voto é contra o relatório. O meu voto é “não”.”


Foto: Câmara dos Deputados

VALADARES FILHO PSB/SE

CONTRA DILMA e CONTRA TEMER

O QUE FOI DITO NO IMPEACHMENT DE DILMA:

“Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, pensando no melhor para o povo brasileiro, respeitando a nossa Constituição, seguindo a orientação do meu partido, pelos aracajuanos, pelo meu querido povo de Sergipe e pelo povo do Brasil, eu voto “sim”.”

O QUE FOI DITO NA DENÚNCIA DE TEMER:

“Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, povo brasileiro e do meu querido Estado de Sergipe, em nome da ética, tendo a consciência de que nenhum brasileiro está acima da lei, eu voto “não”.”

Deixe uma resposta