“Privatização dos Correios prejudicará toda população brasileira”

A afirmação foi de Sérgio Lima, liderança sindical dos trabalhadores dos correios em Sergipe, durante protesto em frente à agência do Centro de Aracaju

Foto: Ascom CUT

Nesta terça-feira (03), o dia foi de luta acirrada contra a privatização dos Correios. O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (SINTECT/SE), filiado à Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), realizou protesto em frente à agência do Centro de Aracaju. Ocorreram também atos em todo o país e uma manifestação em frente ao prédio Central dos Correios em Brasília.

Liderança sindical do SINTECT/SE, Sérgio Lima, esclareceu que a luta contra a privatização dos Correios é uma luta de todos, pois a privatização não vai gerar nenhuma vantagem para a população brasileira. Segundo o sindicalista, além das demissões em massa, que vão piorar o quadro de desemprego no país, está previsto o encarecimento do serviço e a extinção das agencias em localidades longínquas, deixando a população desassistida e reduzindo a eficiência do serviço, explicou.

“A greve segue forte em todo o país. Só não está tendo a devida visibilidade nos meios de comunicação. A cada dia a greve cresce de forma assustadora e inédita. A informação divulgada de que 93% dos trabalhadores continuam nos postos de trabalho não é verdadeira. Sob o risco de privatização da empresa, até trabalhadores que ocupam cargos de chefia estão aderindo à greve”, explicou.

“O governo golpista está equacionando as leis necessárias, enxugando a máquina, deixando tudo pronto para a privatização. Através de planos de incentivo à demissão, sofremos brusca redução de funcionários, o Estatuto da empresa foi modificado para permitir que os Correios se torne uma SA, seja privatizado diretamente ou através da Parceria Público Privado (PPP). Houve uma decisão judicial contrária ao movimento grevista e estamos tentando derrubar liminarmente esta decisão para avançar na luta até a vitória”, complementou Sérgio.

“A greve segue forte em todo o país”, afirmou Sérgio Lima

Sergio Lima explicou também que o Plano de Saúde vinculado é um dos obstáculos à privatização. “Junto à luta contra a privatização, queremos que o governo reedite o acordo coletivo para que nosso plano de saúde continue vinculado e lutamos pela reposição inflacionária”.

Segundo Jairo de Jesus, dirigente da CUT/SE e do SINDTIC/SE (Tecnologia da Informação). “A CUT tem participado dos atos, de todas as audiências publicas, da mobilização nacional contra a privatização das empresas públicas Correios, Petrobras, bancos públicos e todas as estatais. Haverá um grande ato no dia 6 de outubro. A CUT participa da construção desse protesto em todo território nacional. Em Aracaju não tem sido diferente. Sabemos que esta é uma luta difícil, pois o governo golpista quer privatizar tudo em conluio com o Judiciário. Mas os trabalhadores acertaram quando decidiram resistir, lutar, recorrer, não temos outra opção além da luta”, reforçou.

Deixe uma resposta