Reforma da Previdência: Adelson se calou e André Moura e Laércio estão foragidos

O governo Michel Temer enviou no fim do ano passado o projeto com regras mais duras para a concessão de aposentadorias e pensões no Brasil

A proposta enviada ao Congresso prevê idade mínima de 65 anos para se aposentar no Brasil, tanto homens, como mulheres. O tempo mínimo de contribuição para ter direito à aposentadoria subirá de 15 anos para 25 anos. As regras valem para servidores da iniciativa privadas, funcionários públicos e políticos. Estão fora da reforma militares das Forças Armadas, bombeiros e policiais militares. Estados e municípios terão seis meses para elaboraram regras mais duras para seus servidores. Se as reformas locais não forem aprovadas em 180 dias depois que a reforma federal for promulgada, eles terão que cumprir as regras estabelecidas pelo Congresso.

O jornal “O Estado de São Paulo” fez levantamento com os 513 deputados. Eles foram questionados se votariam a favor da proposta da forma como foi enviada pelo governo ou se a rejeitavam. Também foi dada a opção de fazerem quatro ressalvas ao texto proposto pelo presidente Michel Temer: em relação à idade mínima de 65 anos para a aposentadoria de mulheres e homens, à regra de transição e à exigência de 49 anos de contribuição para ter direito ao benefício integral.

Esses pontos foram priorizados porque são considerados os mais importantes pela equipe econômica do governo para não desconfigurar o texto enviado.

Confira como ficou a intenção de voto para a Reforma da Previdência dos deputados federais de Sergipe:

Não foram encontrados:

  • André Moura (PSC)
  • Laércio Oiveira (SD)

Não quiseram responder:

  • Adelson Barreto (PR)

Contra:

  • Fábio Mitidieri (PSD)
  • Fábio Reis (PMDB)
  • João Daniel (PT)
  • Jony Marcos (PRB)
  • Valadares Filho (PSB)
FonteEstadão
Compartilhar

Deixe uma resposta