Repeteco de personagens

Por Joaquim Vela

Nem de longe A Regra do Jogo conquistou o público e a crítica do megassucesso Avenida Brasil (2012), também escrita pelo mesmo autor João Emanuel Carneiro. A expectativa de que a crise de audiência e criatividade da teledramaturgia brasileira seria minimizada com a trama sobre a facção criminosa e a favela da Macaca não se concretizou. Mesmo tendo bons índices de audiência, sobretudo depois do encerramento de Os Dez Mandamentos, a média geral de A Regra do Jogo, até o momento, é de 26 pontos, segundo o site http://audienciadatvmix.com/.

Mas não quero falar aqui dos erros e acertos do folhetim. Há tempos quero identificar a grande semelhança de alguns personagens da novela com os de Avenida Brasil. Comecemos pelos mais emblemáticos: a família de Feliciano (Marcus Caruso) imita as cores das cenas, a confusão, a gritaria e o amor-comédia da família Tufão (Murilo Benício). A empregada que sabe tudo o que passa na casa Dinorah (Carla Cristina Cardoso) lembra bem a divertida Zezé (Cacau Protásio) que trabalhava com a família do ex-jogador de futebol. E o personal trainer Vavá (Marcello Novaes) que é quase uma cópia do marombeiro Leleco (Marcus Caruso) de Avenida Brasil.

Ascânio (Tonico Pereira), pai de criação de Romero (Alexandre Nero), homem sem moral que vive na cola de Atena e do “filho”, se parece muito com Nilo, que explorava Carminha (Adriana Esteves) no lixão de Avenida Brasil. Além do aspecto decadente dos dois personagens, a relação de amor e ódio com os vilões e os xingamentos dirigidos a eles são outros traços que reforçam a semelhança. Basta bater o olho em Ascânio para se lembrar de Nilo.

É claro que na ficção tudo pode e tudo dá. E repetir formatos que deram certo é uma boa estratégia para fidelizar o público. Não à toa que ambas as famílias, Feliciano e Tufão, é/era muito divertida e rende/rendia muitas gargalhadas para o público.

Que outras semelhanças entre os folhetins você identifica? Conta lá no quimvela@brasildefato.com.br.

Até semana que vem!

Compartilhar

Deixe uma resposta