Sem Terra comemoram imissão de posse no Sertão Sergipano

A fazenda tem 700 hectares de extensão e vai beneficiar 20 famílias

Foto: Ascom do MST

Após 8 anos de luta e resistência, 20 famílias camponesas foram beneficiadas com a imissão de posse da antiga fazenda São Luis. Localizada no município de Poço Redondo, no Alto Sertão Sergipano, a área tem aproximadamente 700 hectares de extensão.

Em atividade neste sábado (07), as famílias comemoram suas conquistas. As festividades foram abertas com a celebração de uma missa pelo Frei Enoque. O momento de comemoração seguiu com um ato político e encerrou com uma festa.

Para Roberto Araújo, dirigente estadual do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), “a região onde as famílias serão assentadas tem potencial muito grande para produção do leite. Pois tem o maior número de assentamentos do MST e a maior bacia leiteira de Sergipe”, afirmou.

Padre José Comblin

O acampamento será denominado Padre José Comblin. Será uma homenagem ao missionário que defendeu a reforma agrária no Brasil. Nascido em Bruxelas (Bélgica), veio para o Brasil em 1958, atendendo a apelo do papa Pio XII, que pedia missionários voluntários para regiões com falta de sacerdotes. Comblin passou a orientar uma experiência de formação de seminaristas que buscavam um estudo mais comprometido com a realidade e adequado ao exercício do ministério no mundo rural. José Comblin criou, então, um modo de estudo que depois ficou conhecido como Teologia da Enxada. O padre estava fortemente inserido na Igreja de Dom Hélder que marcava o cenário nordestino e nacional pelo seu compromisso com as causas populares.

Na solenidade estiveram presentes o Secretario de Estado da Agricultura, Esmeraldo Leal; o Deputado Federal João Daniel (PT); o Secretario de Agricultura de Canindé, Rildo Joaquim; o Deputado Estadual, Francisco Gualberto (PT); o Secretario de Estado do Meio Ambiente, Olivier Chagas; o Vereador de Poço Redondo, Zé Oliveira; Direção Nacional do MST, Gileno Damasceno; Direção Estadual, Roberto Araújo; além de lideranças locais e assentados e acampados da região.

A imissão de posse é um dos processos finais da obtenção da terra com destino à reforma agrária. Significa que a Justiça Federal imitiu ao INCRA a posse do imóvel e a partir disso inicia-se os procedimentos para selecionar as famílias cadastradas e criar o projeto de assentamento no local.

Deixe uma resposta