Sergipe tem a maior taxa de homicídios do Brasil em 2016

Os dados são do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, lançado nesta segunda-feira (30). Estado registrou crescimento de 11,58% de homicídios em relação ao ano anterior

Foto: Divulgação

Nesta segunda-feira (30), foi lançado o 11º Anuário Brasileiro da Segurança Pública, pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública. E os números não são nada animadores para Sergipe e para o Brasil. Com um número absoluto de 1.449 mortes violentas no ano passado, Sergipe foi considerado o estado com a maior taxa de mortes violentas por 100 mil habitantes. Esses dados foram 11,5% maiores que em 2015.

Com esses dados, Sergipe registra 64 mortes para cada 100 mil habitantes. O segundo estado foi o Rio Grande do Norte com uma taxa de 56,9 mortes. E em seguida Alagoas com 55,9 mortes por 100 mil habitantes.

Aracaju

Aracaju também aparece com destaque no estudo. Foi considerada a capital brasileira com a maior a taxa de assassinatos por 100 mil habitantes. São 66,7, seguido de Belém, com 64,9 e Porto Alegre, com 64,1.

Brasil

No Brasil foi registro o maior número de assassinatos da história. Em 2016, 7 pessoas foram mortas por hora no país. Foram registradas 61.619 mortes violentas, o que equivale ao número de mortes provocadas pela bomba atômica em Nagasaki, no Japão.

De acordo com o diretor do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, os números registrados no país são, “no mínimo, obscenos”.

“A violência se espraiou para todos os estados. Não é exclusividade só de um, apesar de haver uma vítima preferencial”, afirmou Lima.

Gastos com Segurança Pública

Os governos gastaram 2,6% a menos com políticas de segurança pública em 2016. A maior redução foi observada nos gastos do governo federal: 10,3%. Sergipe teve uma redução de 3,76% em relação ao ano anterior.

“Queda dos gastos chama a atenção. Passa a impressão de que o emprego da Força Nacional é hoje a única estratégia do governo federal na área da segurança. Tem mais efeito midiático do que prático”, diz Arthur Trindade, integrante do Fórum.

Violência policial

A letalidade das polícias em Sergipe aumentou 116,4% em relação a 2015: 94 pessoas foram mortas em decorrência de intervenções de policiais civis e militares. No Brasil esse aumento fico em 25,8% em relação ao ano anterior, com 4.224 pessoas mortas.

Destas vítimas, quase que a totalidade são homens (99,3%), jovens (81,8%), tem entre 12 e 29 anos e são negras (76,2%).

O número de Policiais Civis e Militares vítimas de homicídio, em serviço e fora de serviço não variou em Sergipe. Foram 7 em 2016, mesmo número do ano anterior. Já no Brasil, aumentou 17,5% em relação a 2015. 437 policiais civis e militares foram vítimas de homicídio. A maioria das vítimas também é negra: 56%, contra 43% de brancos; além disso, em 32,7% dos casos elas têm de 40 a 49 anos.

 

Compartilhar

Deixe uma resposta